Cerca de 100 pontos de ônibus do Distrito Federal amanheceram com manifestações contra o golpe. Esta manifestação soma-se a outras de diversos partidos e entidades que consideram a abertura do processo de impeachment como uma retaliação do presidente da Câmara Eduardo Cunha contra o governo por conta do processo no Conselho de Ética da Câmara.

O Movimento dos Sem Terra, a Central das Trabalhadoras e Trabalhadores do Brasil, CUT, UNE, UBES, CMP, Contag, FUP, Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG), a Associação Brasileira de Ciência de Política (ABCP), o Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), são exemplos dessas entidades que lançaram nota pela permanência do governo Dilma.

A Comissão Brasileira Justiça e Paz, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), também criticou  o presidente da Câmara. Em sua nota, a CNBB questiona os motivos que levaram Cunha a aceitar o pedido de abertura do processo.

Anúncios