image

“… o meu pai era paulista/meu avô, pernambucano/ o meu bisavô mineiro/ meu tataravô, bahiano/
vou na estrada há muitos anos/ sou um artista brasileiro…”

Sr. Chico Buarque de Hollanda

Estamos vivendo um momento de grande retrocesso na sociedade brasileira, Pedro Mendonça…

Minha vida toda eu lutei contra a discriminação de toda natureza, de raça, de credo e, principalmente, contra a segregação imposta pela divisão das classes sociais, a própria estrutura do sistema capitalista, o mais desumano, egoísta e segregador de todos.

Aprendi com meus inúmeros mestres e as muitas lombadas de livros que lí, que devemos ouvir os sábios, aqueles que gozam de reconhecido prestígio social e cultural.

Aprendi a amar e respeitar o grande artista brasileiro Chico Buarque de Holanda, filho do intelectual e antropólogo, Sérgio Buarque de Holanda, escritor do famoso livro Raízes do Brasil.

Chico nasceu em berço de ouro, poderia estar se linchando pro cenário político atual porque é um dos maiores artistas brasileiros, conhecido e respeitado no mundo inteiro, no entanto, foi quem mais escreveu contra as atrocidades impostas pelo regime sanguinário da ditadura militar e até hoje empresta sua cultura e seu prestigio para fazer a defesa do certo e do justo e, principalmente, para se contrapor ao senso comum e ao “samba de uma nota só” que é repetir jargões e consensos construídos pela mídia burguesa e sedenta de outro período neoliberal que venha ao encontro de seus interesses de dominação e alienação.

Chico Buarque de Holanda é digno de todo respeito e admiração do povo brasileiro, por seu enorme legado de música, poesia e cultura.

Infelizmente, é uma geração que não lê, não conhece seus escritores, intelectuais e poetas, só se permite ouvir modismos disseminados pela mídia alienadora, é pedir demais que preste os devidos respeito e reverência a esse grande brasileiro.

Hoje sou:
Jairo Mendonça Buarque de Holanda

Jairo Mendonça é professor, músico, diretor do SINPRO/DF e dirigente do PCdoB Gama

Anúncios