Apoiados nas manifestações do último dia 13 de março e em ações ilegais e abusivas da Operação Lava Jato, como foi o caso da condução coercitiva do ex-presidente Lula,  os setores mais reacionários da direita neoliberal — em conluio com os monopólios de comunicação – radicalizaram a pregação golpista e proclamam aos quatros ventos que “em semanas” irão depor a presidenta Dilma Rousseff.

A grande mídia alardeia a análise falsa de que a deposição da presidenta Dilma, via um golpe de Estado, reconduziria o país à normalidade e à retomada do crescimento econômico.

A verdade é outra. Um governo qualquer que seja entronizado por um impeachment golpista, levará o país a uma conflagração, o que agravará a instabilidade política e aprofundará a recessão. Não há solução fora da democracia. Mudança na Presidência da República somente em 2018 como ordena a Constituição Federal.

Nesta hora grave da vida do país, o PCdoB faz um chamamento às forças democráticas e populares, mesmo aquelas que estão separadas por legítimas divergências, para que venhamos a convergir, a nos unir em torno da democracia, que é o bem mais precioso da Nação.

Que venhamos a nos unir, também, todos e todas movidos pela convicção de que não se faz Justiça afrontando o Estado Democrático de Direito. Que se unam todos e todas que respeitam as divergências, as diferenças de opinião e que rejeitam a cultura da intolerância e do ódio.

O PCdoB conclama: dia 18 vamos às ruas pela democracia, contra o golpe. Vamos às ruas com o multicolorido das organizações sociais, da democracia e do Brasil. Dia 18 às ruas, pela retomada do crescimento econômico e da geração de empregos.

Brasília, 15 de março de 2015

A Comissão Política Nacional do Partido Comunista do Brasil-PCdoB

Anúncios