Um manifesto dos estudantes do Centro de Ensino Médio Elefante Branco de Brasília/DF divulgaram nas redes sociais um manifesto contra ‘’ TODAS AS FORMAS DE OPRESSÕES NA EDUCAÇÃO E NA SOCIEDADE ‘’.

Reproduzimos aqui a íntegra do manifesto dos estudantes:

62432_538011956221933_149857405_n

A juventude não se calará!
‘’DIZEMOS NÃO A TODAS AS FORMAS DE OPRESSÕES NA EDUCAÇÃO E NA SOCIEDADE ‘’

O Elefante Branco é uma escola que leva consigo uma história de muita luta e resistência em defesa da democracia. O ELEFANTE VERMELHO, nome dado à escola que resistiu aos piores momentos da história do nosso país no século passado com a ditadura militar, que matou, torturou e calou a sociedade. O grêmio estudantil do Elefante Branco tem como patrono Honestino Guimarães que foi estudante e presidente do grêmio do CEMEB na década de 60. Com passar dos anos as coisas ainda não mudaram, os estudante se organizam em defesa da democracia e de um novo ensino com a cara da juventude. Nos últimos 10 anos houveram muitas batalhas em defesa de políticas para a transformação do ensino e por políticas sociais mais emancipatórias, como a defesa do passe livre estudantil, 10% Do PIB para educação, 75% do Royalty para educação e 25% para saúde, Plano Nacional De Educação, Plano Distrital De Educação contra a redução da maioridade penal, contra os cortes na educação e contra todas as formas de opressões impostas pela a nossa sociedade.
No dia 07/06/2016, os estudantes do Elefante Branco juntamente ao Grêmio Honestino G. mobilizaram-se para dizer “Não” a todas as formas de opressões vindas do conservadorismo da sociedade.

Nos organizamos para o ato que teve como incentivo o registro de LGBTfobia ocorrido no colégio, partindo de um professor para o estudantes do primeiro ano do ensino médio. O estudante veio percebendo atitudes anormais por parte do professor desde o início do ano letivo, em uma primeira impressão achou que era pessoal, mas a situação agravou com o passar do tempo. Por motivo da maioria da sala ser homossexual, no qual muitas vezes eram penalizados com faltas, mesmo respondendo a lista de chamada e não aceitando trabalhos escolares, na reunião de pais a mãe de Matheus foi conversar com o professor, pois em seu boletim a única matéria que havia ficado era a dele, o professor veio explicar que o estudante estava tendo mau rendimento por estar sendo MUITO homossexual.
O estudante relata que o professor foi questionado: ‘’o porquê de ter retirado de sala, duas estudantes, por uma estar encostada com o queixo no ombro da outra. ’’ele veio a responder ‘’que essas atitudes dentro de sala de aula não eram aceitas e que se fossem fazer isso deveriam sair de sala. ’’

Todos nos temos direitos de Liberdade expressão visado pela Constituição Federal.

Art. 5°IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato
IX- é livre a expressão de atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independente de censura ou licença;
X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;
XLI – a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais.
E pelo O Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos
ARTIGO 19:
1. Ninguém poderá ser molestado por suas opiniões.
2. Toda pessoa terá direito à liberdade de expressão; esse direito incluirá a liberdade de procurar, receber e difundir informações e ideias de qualquer natureza, independentemente de considerações de fronteiras, verbalmente ou por escrito, em forma impressa ou artística, ou por qualquer outro meio de sua escolha.
3. O exercício do direito previsto no parágrafo 2 do presente artigo implicará deveres e responsabilidades especiais. Consequentemente, poderá estar sujeito a certas restrições, que devem, entretanto, ser expressamente previstas em lei e que se façam necessárias para:·.
(A) Assegurar o respeito dos direitos e da reputação das demais pessoas;
(B) proteger a segurança nacional, a ordem, a saúde ou a moral pública.

“Repudiamos todas as formas de retirada de direitos e opressões, principalmente no espaço tão democrático e amplo de ideias como a escola”.

• Outro caso de luta do Grêmio do Elefante Branco é o Não ao golpe e Fora temer – nossa maior defesa é a democracia com pluralidade de ideias, culturas e em defesa de nossas conquistas, como o PNE, Petrobras, Passe livre. Que hoje com o atual governo interino esta em risco inicialmente com o afastamento da primeira mulher presidente que foi eleita democraticamente com 52,4 % dos votos em 2014, contra as atitudes de Eduardo Cunha na votação da Redução da Maioridade Penal na qual a juventude conseguiu barrar a redução em uma primeira votação no plenário da câmara só que numa manobra aberta em menos de 24 horas pelo o próprio, colocou a proposta novamente em votação com os mesmos deputados da primeira votação e acabou sendo aprovada. Assim aconteceu com o Financiamento privado de campanha que foi votado e barrado na primeira votação, só que com a manobra no dia seguinte foi aprovada.

• PL 131/15 que retira nosso maior investidor em educação-Petrobrás e entrega aos estrangeiros, privatizando-o. Não ao Projeto da ‘’ ponte para o futuro ‘’ de autoria de Temer e seu Governo PMDB, que deixa claro a privatização das nossas estatais e parando de investir nos programas sócios conquistados pelos trabalhadores, juventude, educação, saúde…

• Não aceitamos o ministro Mendonça filho.
Após uma semana de posse de Mendonça filho ao Ministério da educação, recebeu Alexandre frota e os revoltados online para discutir os novos meios para a educação, não reconhecemos, pois Alexandre frota é um cara Machista (declarado em mídia), sem qualquer experiência e contribuição de propostas para a educação. Foi apresentada por ele a proposta da PL da Escola sem partido.

• Não a PL da ‘’Escola sem partido
‘O projeto impede de forma conservadora o debate plural sobre temas muito importante como a história, a política, os direitos humanos e o combate às opressões, impedindo o exercício de um ensino que de autonomia aos estudantes e que transforme a sociedade. Aliás, o ser humano é um ser politico por natureza. Então não há um único fato histórico que não tenha conteúdo político. A “Escola Sem Partido” é a escola de apenas um partido, de apenas um lado (o mais conservador de todos), buscando enterrar a diversidade de pensamento natural na busca de conhecimentos e transformando o processo educacional em instrumento de opressão e de censura.

• Queremos mais cultura e mais acesso a universidade publica!
Queremos um CEMEB com as cores do arco-íris e com a cara da juventude, intervalos culturais, batalha de rima, festivais de musica, debates sociais – economia, política, educação, cidadania, LGBT’S, feminismo, negros e negras, sustentabilidades, urbanismo e tecnologia. Queremos a isenção do PAS novamente, como direito ao acesso a universidade publica (UnB), defendemos o Passe Livre Estudantil Irrestrito, como acesso a educação, a educação não esta só dentro de sala de aula, mas sim em outros espaços como nas Batalhas de rimas, Festivais de musicas, Teatro, Cinema, Parque da cidade, Museu e outros lugares. Defendemos o acesso ao passe nos fins de semana por que a cultura de Brasília fica concentrada no centro do plano piloto e sempre aos fins de semana.

GRÊMIO HONESTINO GUIMARÃES
Presidente do Grêmio: Marcelo Acácio

Anúncios