15102237_1199430136813897_1923243612_o

Uma criança recebe a tarefa escolar de abordar o significado do Dia da Mulher. Acompanhando a tarefa da filha, Ana Prestes percebeu a falta de material destinado para a faixa etária – 8 anos – e que o tema é sempre tratado de forma muito politizada e aterrorizada (a fábrica incendiada com as operárias dentro). “Como a professora pediu esse trabalho para toda a classe – e faz isso todo ano –, tive a ideia de preparar esse material mais didático e acessível à criança”, conta Ana. O resultado é o livro Mirela e o Dia Internacional da Mulher, com ilustrações de Vanja Freitas, publicado pela Editora Lacre.

Ana remete à greve e grande marcha que tecelãs e costureiras de Petrogrado, na Rússia, realizaram em 8 de março de 1917 como origem do Dia e refere que a história de uma fábrica de tecido incendiada com as operárias dentro, em 1857, em Nova Iorque, Estados Unidos, “foi passando de boca em boca, mas não existem jornais, registros ou documentos da época que mostrem que ela realmente existiu”. A data passou a ser comemorada desde 1921, quando o 8 de Março foi adotado pela Conferência das Mulheres Comunistas, realizada em Moscou, Rússia, e foi reconhecida oficialmente em 1977, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Doutora em Ciência Política, professora e ex-secretária da Educação de Contagem, Minas Gerais, Ana também coloca, no livro, sugestões de atividades para mães, pais, educadoras, educadores e crianças. “Minhas filhas foram minhas primeiras leitoras e sugeriram modificações, que adotei para melhor comunicação com as crianças”, conta a autora, que nasceu em Moscou quando seus avós – Luiz Carlos Prestes e Maria do Carmo Ribeiro – estavam no exílio com a família.

“Naturalmente, minha formação familiar influiu na minha concepção de mundo”, afirma a autora, que é dirigente nacional do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e assessora política na Câmara dos Deputados. Sua primeira língua foi o russo, “e talvez isso tenha influenciado na escolha do nome da personagem – Mirela. Mir é uma palavra muito forte em russo que, dentre outros significados, pode ser traduzido por mundo, e ela é um pronome e substantivo feminino em português.

Escrito em parte em forma de poema, sempre com palavras simples, acessíveis aos primeiros anos escolares, o livro não é panfletário, mas informativo e lúdico, com notas explicativas, fotografias, cartazes e breves biografias de mulheres que tiveram participação destacada nas conquistas femininas. Teve um primeiro lançamento em outubro, no Rio de Janeiro e será lançado neste dia 19, em Brasília, a partir das 15 horas, na Livraria Cultura do Casa Park. Estão previstos lançamentos também em Belo Horizonte e Fortaleza.

Mirela e o Dia Internacional da Mulher pode ser adquirido também no endereço da editora na internet: www.editoralacre.com.br

Carlos Pompe, de Brasília

Anúncios