Para salvar a pele, Temer parte para o divisionismo contra o PSB

O governo corre contra o tempo para tentar barrar a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra Michel Temer por corrupção passiva. Na ânsia de garantir os votos para salvar a sua pele, Temer resolveu partir para o divisionismo, provocando a ira do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, que, nesta terça-feira (18), rechaçou o assédio para que dissidentes da legenda ingressem no PMDB.

O presidente do PSB, Carlos Siqueira, reagiu à investida de Temer

“O presidente saiu dos seus afazeres presidenciais para fazer articulações políticas, o que mostra que a preocupação dele não é com os problemas do país, mas em salvar a própria pele”, disse Siqueira.

As críticas foram porque Temer resolveu visitar a líder do PSB, Tereza Cristina (MS), nesta terça-feira (18). Para o presidente do PSB, Temer “não agiu como presidente da República, mas como chefe de partido”.

Assim como outros encontros secretos, a reunião com Tereza só foi incluída na agenda presidencial após a descoberta pela imprensa. Tentando demonstrar prestígio à Tereza, Temer foi até a residência da parlamentar para conter a aproximação do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e convidar a ala do PSB que ainda apoia o governo a ingressar no PMDB.

Com a agenda de reformas, o PSB decidou retirar o apoio ao governo . Com a denúncia do PGR, a legenda defende a realização de eleições gerais e o Fora Temer. Um dos principais líderes, o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), defendeu a união da oposição a Temer para as eleições presidenciais de 2018..

Diante do constrangimento, Temer está reavaliando a viagem para Pernambuco, que é governado por Paulo Câmara (PSB), para o lançamento do programa Cartão Reforma, nesta quarta-feira (19), que seria feito em Caruaru (PE) como um afago ao ministro Bruno Araújo (Cidades), do PSDB. Mas a assessoria do Planalto não confirmou a viagem.

É evidente que a conduta de Temer aumentou o “mal-estar” com a cúpula nacional do PSB e que inviabilizou a sua ida ao estado.

Segundo uma fonte do Planalto, citada pela Folha, se a relação de Temer com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), não estava boa, “agora piorou ainda mais”.

Do Portal Vermelho, com informações de agências

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s