Foi da forma mais autêntica possível, seguindo a linha da essência proposta pelo movimento popular, que o PensaDF foi lançado oficialmente na noite de quarta-feira (29/11). Uma conversa entre pares, em defesa da Educação pública, exercitando as ações do “ouvir”, “denunciar”, “propor soluções” e “lançar estratégias de combate”, dirigidas também às áreas de saúde e segurança que tanto assolam Brasília e todas as cidades do Distrito Federal e Entorno, marcou o início da nova iniciativa socialista.

O secretário de Organização do PCdoB/DF, Carlos Décimo, participou da cerimônia, na Casa Manga Com Leite, na Vila Planalto. Na ocasião, elogiou a criçação do movimento e fez sugestões para que ele tenha uma maior alcance junto a população. “É uma excelente iniciativa o PensaDF abortar todos os quesitos que norteiam nossa sociedade. Aqui, membros do movimento têm autonomia se movimentando e criando fatos”, declarou Carlinhos, sugerindo uma maior divulgação. “Precisamos publicizar”.

A sugestão de Carlos Décimo foi prontamente aceita e complementada pelos camaradas Manoel Filho e Jairo Mendonça, ambos dirigentes sindicais do Sindicato do dos Professores (Sinpro-DF) que apresetaram as mídias sociais já utilizadas. Em princípio foram criadas para o PensaDF uma página no facebook (fanpage facebook.com/pensadf/), um site institucional (pensadf.bsb.br) e um jornal que será lançado ainda neste mês.

“Ser socialista é uma necessidade. Abrimos o PensaDF para todos as pessoas que queiram discutir o Distrito Federal porque queremos uma sociedade mais igualitária”, afirmou o professor Manoel Filho. Confiante, o educador revelou que a sua experiência de vida o deixou bem mais que preparado para discutir os problemas do DF e propor soluções.

Manoel Filho relatou que um dia desses um senhor perguntou se ele estava preparado para para debater o DF. “Respondi que comecei a labuta pelas ruas do DF aos 8 anos de idade, vendendo pirulitos e jornais, engraxando sapatos e como lavador de carros, no final dos anos de 1960 e 1970 quando morei na antiga favela do ESCORREGA LÁ VAI UM. Na favela que ficava entre o Sesi e a QNJ de Taguatinga, vivi terríveis dificuldades da pobreza como a escassez de alimentos. Sobrevivi, estudei, sou casado há 33 anos com mulher mais maravilhosa do mundo e é claro, que com tudo isso, eu estou preparado para enfrentar qualquer coisa na vida”, garantiu.

“Vim do povo e minha vida nunca foi fácil por isso estou preparado para debater o DF”, assegurou o professor Jairo Mendonça. Natural de AraguaÍna Goiás – hoje no estado de Tocantins – aos 14 anos, ele ingressou em um seminário católico para ser padre, época que teve as primeiras experiências no campo vocacional. Ainda adolescente atuou junto às comunidades carentes e vivenciou todas as dificuldades que norteiam a vida dos mais pobres.

Aos 17 anos mudou-se para Brasilia. A partir daí, Jairo Mendonça estruturou sua vida como servidor da Secretaria de Educação e estudou música na Escola de Música passando, posteriormente, a militar na duas áreas. “Nosso pensar é amplo, sem sectarIsmo. Aqui, a imparcialidade do debate é prioridade. Por isso, vou a luta e sem medo por uma sociedade mais justa”, revelou.

O pró-reitor de Ensino do Instituto Federal de Brasília (IFB), Adilson Araújo, reconheceu a importância do Movimento PensaDF. Segundo ele, a iniciativa investe no resgate de uma sociabilidade perdida, ou seja, é um espaço que começa na sua rua, na praça, no mercado e aos poucos vai ganhando lugar na vida e na consciência das pessoas.

“Diante da barbárie social é impossível ficar de braços cruzados. É tarefa nossa fazer a formação de nossos jovens, numa cruzada contra o atraso que tanto prejudica a vida dos cidadãos”, justificou o camarada Adilson.

Há 20 anos professor da rede pública, Fábio Pereira de Sousa é subsecretário de Planejamento. Acompanhamento e Avaliação da Secretaria de Educação do DF. Favorável ao debate em defesa da educação pública, o educador fez um alerta quanto aos “aventureiros” na Câmara Legislativa, que se revova cada vez mais para pior.

“Acredito que nossa desunião seja reflexo do que está acontecendo. Não temos mais nenhum representante da Educação na Câmara Legislativa. Lúcia Carvalho, do PT, foi a única deputada eleita diretamente pela categoria de professores”, disse.

Fábio Pereira disse que de uma forma geral é comum que todos os candidatos tenham em seu discurso a defesa da educação, da saúde e segurança porém, depois que tomam posse, não fazem nada. “Precisamos iniciar um estratégia de combater, abordar e criar espaços dentro da CL para que invistam na Educação”, sugeriu.

O coordenador de Comunicação do PensaDF e militante do movimento negro, João Negrão, foi enfático ao justificar o total apoio ao PensaDF. “As pessoas estão carentes de debater e de ter informação. Precisamos chegar humildes, conversar olhando olho no olho e, dessa forma, a gente dá um sopro de esperança ao cidadão”, afirmou o idealizador da Casa Manga Com Leite.

Carla Belizária
Ascom-PensaDFPensaDFLançamento

Anúncios